Gabriel Neves , prata da casa!!

O jovem atleta Gabriel Neves, de apenas 18 anos, faz a sua primeira temporada como jogador profissional do Athletic. O São-Joanense, volante de origem, ainda mostrou versatilidade e coragem ao jogar improvisado como lateral direito. E foi com essa disposição, que o promissor jogador, concedeu essa entrevista para o Del Rey Esportes.

 

Gabriel, onde você deu os primeiros passos no futebol 

Meus primeiros passos no futebol pelo clube do Cruzeirinho do Distrito do Rio das Mortes com 11 anos de idade, aos 12 anos fui convidado pelo Marquinho para participar do time do Siderúrgica (bairro do Bom Pastor), com 13 anos Thiago( hoje treinador do Futsal do clube) convidou-me para participar do sub 13 do Athletic Club onde desde então abriu portas para a carreira de jogador, com 15 anos fui para o América Mineiro em Belo Horizonte

2 Quais as suas lembranças dos tempos de Siderúrgica?

Minha passagem pelo Siderúrgica foi rápida, joguei o campeonato da cidade e fomos campeões, nisso o treinador Tiago me viu e gostou do meu futebol e me levou para o Athletic

 3 Você poderia dar mais detalhes da sua passagem pelo América Mineiro ?

Iniciei meu trabalho no América Mineiro em 2017 pela categoria do sub 15 e em 2018 participei pela categoria do sub 17, o clube proporcionou rodagem, participações em campeonatos importantes, preparação, acolheu-me muito bem. Proporcionou outras realidades ao conhecer jogadores de vários estados e cidades, juntamente com novas amizades que carrego para vida toda, já que a carreira demanda um afastamento da família forçando um amadurecimento desde novo, as amizades se tornam um apoio.

4 Quais as suas referências na posição ?

Jogo como volante e trago como referências jogador Pogba Manchester United, Toni Kross do Real Madrid, me espelho na forma de jogar, acompanho jogos, vídeos de treinos, principalmente por gostar do estilo de jogo.

5 E sobre esta primeira temporada como profissional, o que você pode nos dizer? 

Sobre meu primeiro ano como profissional está sendo uma experiência incrível em minha vida, estar treinando com grandes profissionais, jogadores que passaram por grandes equipe é muito qualificado, me ajudando, orientando ou até mesmo chamando a atenção. Fazendo com que me torne um atleta e uma pessoa melhor, trabalhamos em equipe como uma família, porque a maturidade e mentalidade é outra. Sempre fui muito feliz em vestir a camisa do Athletic que tem muita história e tradição, passei minha base quase toda aqui e sei como funciona o clube, sempre dei meu máximo desde então, pra mim foi uma notícia fantástica subir para o profissional de uma equipe da minha cidade e integrar a equipe. Está sendo uma grande felicidade.

6 Como foi a experiência de jogar uma partida valendo três pontos improvisado na lateral direita?. 

No momento fiquei nervoso pois se trata de um sonho desde criança que estava se realizando, estrear como profissional, mas tem que estar sempre preparado, focado e com os pés no chão. Sabemos que uma hora a oportunidade aparece, não importa a posição, desde que ajude o time. Treinar dia a dia e estar preparado para essas situações, lidar com cautela e seriedade de estar ou não em seu posicionamento de costume, graças a Deus pude agarrar a oportunidade e dar meu melhor como lateral direito e conseguimos os 3(três) pontos.

 

7 Esse ano você vai trabalhar com dois treinadores distintos, Brancão e agora Cicinho, você sentiu alguma diferença entre eles?

Sobre passar por dois treinadores que são grandes profissionais em que cada um tem seu método de treinamento, postura, proporcionou experiências boas, que me ajudaram a chegar até aqui.

 8 Qual a sua expectativa para essa reta final do Módulo II?

É um trabalho muito forte e contínuo de todos os envolvidos, portanto traz fortes expectativa para o clube principalmente chegar ao acesso. Estamos trabalhando com todos os cuidados contra o covid 19,  sabemos que será outro campeonato, pois as equipes se reforçaram bastante com o término da 1 divisão, e foram buscar reforços, mais com o grande trabalho dos diretores do clube conseguiu manter 80% do plantel que estava na equipe antes dessa paralisação, isso é muito bom pois o entrosamento já vem do começo do campeonato, e toda diretoria conseguiu fazer contratações pontuais, que tenho certeza que irão nos ajudar nessa competição, estamos trabalhando dia a dia com muito foco, intensidade, e concentração, e tenho certeza que com isso iremos em busca do nosso acesso e fazer história nesse clube gigantesco.

 9 Neste período de paralisação, vc conseguiu fazer algum tipo de atividade física para tentar manter, ainda que minimamente, o condicionamento?  

Durante o período de paralisação por conta da pandemia contra o covid19, mantive treinamentos físicos, coordenativos, musculação de forma que mante-se o condicionamento físico e não perdesse o trabalho que vinha fazendo desde então. O distrito onde moro (Rio das Mortes/Goiabeira) tem um campo aberto facilitando os treinamentos, como também tenho alguns instrumentos de musculação, mantendo os horários semelhantes aos treinos que fazia no clube como de 15h as 17h, tudo para manter o rendimento.

Fernando Souza

Fernando Souza é Rubro Negro nato, torcedor do Athletic, formado em Filosofia pela UFSJ,  apaixonado pela  cultura mineira e aficionado pela história do futebol.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *