Dança das cadeiras no Módulo II

O campeonato mineiro do Módulo II de 2020 caminha para a quinta rodada, mas  já ocorreram  seis demissões de treinadores, média de mais de um por rodada. Só na última, foram cinco desligamentos.

Betim

Quem inaugurou a temporada de demissões foi o Betim, que rompeu de forma açodada com Bruno Barros, técnico que fez um belo trabalho e subiu com o clube da segundona para o Módulo II.  O treinador perdeu o cargo após a segunda rodada, depois de  empatar em casa com o Mamoré.

Para substituí-lo, o Betim  trouxe Emerson Ávila, ex coordenador técnico da base do Cruzeiro. O treinador também já comandou Clubes como Ipatinga, Grêmio Barueri e Boa Vista.

Na terceira rodada, não houve demissão, mas o cheiro de fritura estava no ar. Já na rodada de número quatro, cinco  cabeças foram cortadas.

 

Mamoré

 

Logo após a derrota em casa para o Guarani, ocorrida no último sábado, que deixou o Sapo na penúltima posição, com apenas dois pontos,  Toninho Cajuru recebeu a notícia, ainda no vestiário, de que não era mais o treinador  do Mamoré. Para o seu lugar, foi anunciado Luiz Antônio, que no ano passado, dirigiu o Valadares Esporte Clube, na Segundona de 2019.

Tupi

 

Nesta segunda feira, mais quatro demissões. O Tupi, que ainda não venceu na competição, parecia que iria quebrar o jejum contra o Democrata de Sete Lagoas, mas  levou um gol no último lance da partida e viu a primeira vitória escapar por pouco. O Carijó  amarga a décima colocação na tabela, com apenas três pontos. Com a fraca campanha, o treinador Alex Nascif não  resistiu.

 

Ipatinga

 

Ainda nesta segunda, o Ipatinga anunciou que não contará mais com Gerson Evaristo. O Clube do Vale do Aço começou bem a competição, mas nas últimas três rodadas não conseguiu vencer.

A derrota em casa para o rival Democrata de Valadares foi o estopim para o desligamento de Gerson Evaristo. Especula-se que, para substituir o técnico demitido, a diretoria tenta o ex treinador do próprio clube, Ângelo Ferreira, o Precca.

 

CAP Uberlândia

 

O lanterna CAP Uberlândia, que tem apenas um ponto na competição, também rompeu com o seu treinador Amaragil Costa. Com um empate e três derrotas, além de um péssimo desempenho dentro de campo, a situação do técnico ficou insustentável com a derrota em casa para o Nacional de Muriaé. O clube não perdeu tempo e acertou com Toninho Cajuru, que foi demitido pelo Mamoré.

 

Serranense

 

O outro técnico que ficou sem emprego nesta segunda feira, foi Milagres, treinador do Serranense. A equipe perdeu de três a zero para o Betim, mas fazia uma campanha, no mínimo regular, tanto que quando  começou  a última rodada, estava no G4 com cinco pontos.

Por isso, mesmo em se tratando de futebol brasileiro, o rompimento causou certa surpresa. Para o lugar de Milagres, o clube acertou com Gerson Evaristo, que acabou de ser mandado embora  do Ipatinga.

 

Fernando Souza

Fernando Souza é Rubro Negro nato, torcedor do Athletic, formado em Filosofia pela UFSJ,  apaixonado pela  cultura mineira e aficionado pela história do futebol.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *